Literatura: As fronteiras e as travessias

A 8ª edição da FLIB, em 2024, terá como tema “Literatura: as fronteiras e as travessias”. As fronteiras estão em todos os lugares:  nos gêneros literários, na cultura, na política, nos limites geográficos, na divisão de gênero, raça e etnias, entre outras, e são configuradas pela literatura, lugar por excelência dos transbordamentos e de tudo o que é acrescentado ao mundo pela imaginação. Consideramos importante que o tema provoque reflexões, alcançando um público mais amplo, que vive e convive com questões decorrentes das fronteiras, não como limite ou disputa, mas como lugar de troca de saberes, de vivências e vizinhanças, como é o caso de Bonito e de Mato Grosso do Sul.

Como ponto de partida, estamos propondo homenagear o escritor Hélio Serejo (1912-2007), nascido em Nioaque, cujas narrativas e personagens permitem compor um quadro da cultura regional, deixando entrever as fronteiras em contos e causos, fragmentos de histórias que ouviu ou que viveu, em tempos e espaços que se perdem em suas memórias. Por outro lado, contemplando as “travessias”, propomos homenagear Graciliano Ramos, escritor brasileiro representativo do romance regionalista dos anos 1930, cuja obra Vidas secas é um exemplo dos deslocamentos a que são submetidos os sujeitos nas diferentes regiões brasileiras, compondo nossas identidades, transgredindo nossas margens, estabelecendo novos territórios para si e para os outros.

Esses autores poderão ser trabalhados nas escolas municipais de Bonito, uma vez que a Feira Literária se propõe, desde a 1ª. edição, como um projeto de educação que investe na formação de leitores e leitoras, levando-os a um encontro mais intenso e direto com autores e obras, com outras linguagens e suportes para o texto literário (o teatro, os quadrinhos, a fotografia e o cinema) e, principalmente, com as estratégias da literatura quando lê o mundo por meio da palavra.

O estímulo à bibliodiversidade estará presente na proposta de leitura tanto dos autores clássicos quanto dos contemporâneos, dos diferentes gêneros literários e das diferentes autorias. Contadores de histórias, teatro de mamulengo, brincadeiras e jogos são apresentados às crianças para fomentar o desejo de leitura; oficinas de escrita, saraus de poesia, para adolescentes e jovens. Oficinas de formação leitora e de escrita para professores; palestras e debates com escritores locais, de outros estados e de países vizinhos; rodas de conversa são algumas das atividades da FLIB que fazem a mediação para diferentes leituras e que movimentam a cidade a cada edição.

Homenageados

Acompanhe as novidades!

Rolar para cima